5.2.17

EVOCAR WISŁAWA SZYMBORSKA



 AS TRÊS PALAVRAS MAIS ESTRANHAS

Quando pronuncio a palavra Futuro,
a primeira sílaba já se perde no passado.

Quando pronuncio a palavra Silêncio,
suprimo-o.

Quando pronuncio a palavra Nada,
crio algo que não cabe em nenhum não ser.


NOTA: Procurei demoradamente o poema "Conversa com a pedra" mas não vi tradução alguma realmente satisfatória. As três palavras mais estranhas comunica de algum modo o estado de espírito deste que vos escreve e portanto cumpre o intento. Feliz ano novo raro e paciente leitor.

0 # comentários: